terça-feira, 22 de julho de 2008

Arte e vida, sinônimos!


Grandes espetáculos que ocorrem enquanto somos organismos vivos, nos fazem ser um tanto quanto prepotente e audaz com nós mesmos.
Seres ínfimos, questionadores de muitas ações que deveriam ser decididas não por nós mas sim pela conjuntura da óribta que nos cerca e nos faz ficar de pé. Senso!.
Quem de fato somos?
Quem de fato queremos ser?
Qual a hora certa?
Quando perceber os erros?
Erros existem?
E o certo? quem é esse?
Trabalho ardor esse de existir, Hilda diria: - "Estar Sendo Ter Sido!" negãooo!.
Imagem de Luara Monteiro - Espetáculo - O Grande Circo Ínfimo

Um comentário:

Déh disse...

Quem de fato somos?
Quem de fato queremos ser?
Qual a hora certa?
Quando perceber os erros?
Erros existem?
E o certo? quem é esse?

Muitas perguntas, poucas respostas. Só mesmo vivendo... só assim!